Fórum de Reflexão Económica e Social

«Se não interviermos e desistirmos, falhamos»

domingo, janeiro 21, 2018

Carril em glosa


O mote instantâneo nasceu em 12 de setembro do ano transato. A glosa acalmada, prevista para aparecer meio ano mais tarde, acabou por impor-se antecipadamente. O silêncio foi o mestre e o vazio o maestro.

O dia de ontem, cerca de nove meses após o último vivo e revigorante encontro de amizade entre os elementos do grupo, conduziu à antecipação - sem rascunhos - da programada resposta glosada à saudade. O horizonte apresentou-se defronte, livre e honesto, natural e genuíno, impelindo o tempo a apressar-se.

                         Naquele carril da morte tudo acaba
                         Meninas de olhos nus amordaçados
                         Lembrando o futuro que desaba
                         O fumo sobe e grita aos céus calados

                         O Almo assiste a tanta injustiça
                         Mas pensa que é forte; até se gaba
                         Que tudo ele levanta; só enguiça!
                         Naquele carril da morte tudo acaba

                         Cordão umbilical da amizade
                         Desfez-se com a luz de sóis fechados
                         O escuro é afinal a voz que invade
                         Meninas de olhos nus amordaçados

                         Viagem duradoura para cumprir
                         Destino feito apuro que aldraba
                         Ausência que desdoura o devir
                         Lembrando o futuro que desaba

                         Revolta é o que resta - a alma sente
                         Pergunta à desdita: que pecados?!
                         O ar já pouco presta, está doente
                         O fumo sobe e grita aos céus calados

Sem comentários: